PUBLICIDADE

MAIS RECENTES

Comecei a empreender, e agora?

Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39. Coluna Criativos Por Samuel J. Messias – Gerente de Projetos Especiais na ADERES Mergulhar no mundo do empreendedorismo é uma jornada emocionante e

O amor é lido em todo tempo e espaço

Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39. Coluna Letrados Por Sueli Valiato/ professora de Língua Portuguesa e Literatura. Hoje é o Dia dos Namorados… E, inspirando-me nos cânticos do

Educação Profissional

Imagem: Divulgação. Professor Samuel J. Messias.

A Educação Profissional é o modelo de aprendizagem com foco no desenvolvimento de competências e habilidades técnicas para suprir a demanda do mercado de trabalho.

Nesse modelo, são oferecidos cursos para trabalhadores jovens e adultos, independente de escolaridade, com o objetivo de qualificação e requalificação profissional.

A educação profissional no Brasil é uma das principais apostas para melhoria da competitividade da indústria brasileira. O investimento no ensino profissionalizante vai permitir a retomada do crescimento econômico do país de forma contínua, gerando melhores oportunidades de emprego e renda para jovens e adultos.

Os dados do Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para guiar a oferta de cursos, mostra que o Brasil vai precisar qualificar 10,5 milhões de trabalhadores nos níveis superior, técnico, qualificação profissional e aperfeiçoamento até 2023. As áreas de maior demanda serão metalmecânica, construção civil, logística e transporte.

Vantagens da Educação Profissional

As vantagens da Educação Profissional é a capacidade de oferecer, tanto, capital humano geral e o específico. As escolas técnicas fornecem capital humano geral, que pode ser utilizado em toda uma indústria.

O reconhecimento benéfico que há na Educação profissional é por facilitar a transição escola-trabalho, aumentar a produtividade dos trabalhadores e prover o mercado de trabalho com habilidades específicas.

Entretanto, após este estágio de vida, investimentos em capital humano geral contribuem mais para a empregabilidade do trabalhador. Em organizações em que predomina o conhecimento geral, tendem a ter maior rotatividade de mão-de-obra, pois seus empregados se defrontam com demanda no mercado de trabalho.

Sistema de Educação Profissional entre países

Há países que diferem significativamente em seus sistemas de educação profissional, assim como na quantidade relativa de investimento em educação geral e educação profissional. Existem três categorias principais: escolas técnicas de educação profissional, programas formais de aprendizagem e o sistema dual.

A primeira, utiliza sistema educacional para fornecer habilidades práticas demandadas por ocupações específicas. Pode ser utilizado para aumentar produtividade de toda uma indústria, e não apenas de uma empresa em particular.

No programa formal de aprendizagem, o capital humano é adquirido principalmente no local de trabalho, com formação institucional, servindo meramente como complemento.

Já o sistema dual utiliza tanto escolas de formação técnica quanto empregadores para proporcionar formação profissional. O conhecimento é mais transferível do que nos programas de aprendizagem.

Formação de habilidades

Essa categoria é vista como caminho para criação de empregos, e com isso países realizam grandes investimentos em programas de formação de habilidades, tendo a seguinte visão comum: é que habilidades levam a criação de empregos, maior produtividade e aumento da renda nacional.

Sendo assim, deficiências nos sistemas de educação profissional são frequentemente apontadas como causa da falta de dinamismo de uma economia, o que leva países a investirem massivamente na formação de habilidades.

Entretanto, estudos de avaliação de impacto têm demonstrado diferentes resultados para educação profissional e, por outro lado, apontam para importância central de habilidades cognitivas e socioemocionais na garantia de empregos produtivos

Emprego como sujeito atuante na formação de habilidades

Relacionamento entre habilidades e emprego também pode se dar no caminho contrário. Pesquisas mostram que o próprio emprego molda atitudes sociais e habilidades, especialmente entre jovens.

O emprego facilita a transmissão e compartilhamento de conhecimento, visto que, funcionários interagem diariamente, e estimula desenvolvimento de habilidades ao colocar o trabalhador em contato com ambiente externo mais amplo e conjunto de influências.

Nesse ponto, o sistema dual é um exemplo de como o trabalho ajuda a educação na formação de habilidades. Combina aprendizado em sala de aula, que foca na formação de habilidades gerais que podem ser utilizadas em qualquer trabalho, e formação adquirida por meio de experiência de trabalho na empresa formadora.

Ensino Técnico

O Ensino técnico de nível médio tem sido relevante no contexto brasileiro, mas participação ainda é baixa quando comparada com outros países.

Apenas 4,8% dos alunos do ensino médio estavam matriculados no ensino técnico em 2007, número que subiu para 8,7% em 2015. Porém, participação ainda é baixa quando comparada a outros países latino americanos e países desenvolvidos.

Por exemplo, na Colômbia e México, o percentual de matrícula é de 28% e 38%, respectivamente, e média da OCDE é 40%.

Penso que a reforma do ensino médio levantou a possibilidade de tornar o ensino técnico uma alternativa ao ensino médio regular, em vez de permanecer como adicional à formação geral obrigatória, o que torna o ensino técnico mais viável e atrativo aos alunos.


Samuel J. Messias – *Mestre em Educação ( Florida University- USA) – *MBA em Estratégia Empresarial – *Especialista em Políticas Públicas – *Especialista em PNL – *Especialista em Empreendedorismo Circular – *Gerente de Projetos Especiais na ADERES – *Prof. Convidado na Florida University – USA.

Compartilhe essa matéria nas redes sociais

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram

Tags

Talvez queira ler esses Artigos

Comecei a empreender, e agora?

Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39. Coluna Criativos Por Samuel J. Messias – Gerente de Projetos Especiais na ADERES Mergulhar no mundo do empreendedorismo é uma

PUBLICIDADE

MAIS RECENTES

Comecei a empreender, e agora?

Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39. Coluna Criativos Por Samuel J. Messias – Gerente de Projetos Especiais na ADERES Mergulhar no mundo do empreendedorismo é uma jornada emocionante e

O amor é lido em todo tempo e espaço

Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39. Coluna Letrados Por Sueli Valiato/ professora de Língua Portuguesa e Literatura. Hoje é o Dia dos Namorados… E, inspirando-me nos cânticos do

Shopping Basket