28.51°C Brasília

17 de julho de 2024

PUBLICIDADE

MAIS RECENTES

“Eu me considero uma Falcão, a Bella Falcão”

Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39. Entrevista/Boxe Por: José Salucci – Jornalista e diretor do Merkato O jornal Merkato está produzindo uma série de entrevistas sobre o

13 de Julho: Dia Mundial do Rock

Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39. Cultura/Música Por: Redação Guitarras melódicas aos violões acústicos. Sem falar na bateria e contrabaixo, que trazem aquela pegada pra galera

Namoro virtual pode dar certo?

(Imagem: Arquivo Pessoal)

Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39


Coluna Mundo Geek
Por Everton Souza / Empreendedor, webdesigner e apaixonado por cultura Geek.

No dia 08 de maio, celebrei com minha esposa 14 anos de casados, já estamos juntos há mais de 17 anos. Relembrar como tudo começou é como voltar no tempo. Quando compartilho nossa história com amigos ou conhecidos, muitos ficam surpresos ao saber que conheci a Nathalia pela internet.

“Uau… sério? Verdade mesmo?” – perguntam, com os olhos arregalados, como se fosse algo de outro mundo.

Pode parecer algo de outro mundo mesmo, mas se olharmos para a época de nossos pais, quando nem telefone existia direito, as conversas eram feitas por cartas que, às vezes, demoravam dias para chegar, e meses entre uma conversa e outra entre os apaixonados.

Conheci minha esposa numa sala de bate-papo da Uol em 2007, chamada “Animes & Mangás”. Eu, fanático por Cavaleiros do Zodíaco, estava usando o Nick (apelido) “Ikki de Leão”. Sim, o cavaleiro Ikki de Fênix, meu personagem favorito, só que usando a armadura de ouro do signo de Leão, algo que esperava ansiosamente acontecer na Saga de Hades. Entrava nessas salas junto com outros amigos para realizar os famosos RPGs de chat, lutas entre personagens através de interações feitas no chat do bate-papo dessas salas.

Conversa na sala de bate-papo entre Everton e Nathalia. Crédito: UOL.

Em uma dessas circunstâncias, conheci uma menina que tinha o apelido de “Kagome”, uma jovem sacerdotisa do anime Ynuyasha. Conversamos naquele dia e vimos que tínhamos muitas coisas em comum, como gostos por animes, entre outras coisas. Decidimos trocar MSN. Sim, meus amigos, no início dos anos dois mil não havia WhatsApp ainda, a internet avançava a passos lentos e as conversas eram feitas por MSN, Orkut e SMS nos celulares.

Em setembro de 2007, começamos a namorar virtualmente. Isso mesmo, ela morava em Santo André – SP e eu em Araucária – PR, aproximadamente 466 km de distância. Realmente foi um desafio, mas estava torcendo para dar certo, pois nas minhas expectativas tinha encontrado uma pessoa que me completava, e já havia me desiludido antes, depois de alguns desenganos com outros relacionamentos.

Conversávamos quase todos os dias, mandando mensagens, e de vez em quando, quando dava certo, fazíamos uma ligação. Ela trabalhava em um shopping e eu era funcionário público. No Natal daquele ano, consegui organizar minhas férias e decidi ir até lá para nos encontrarmos. O nosso primeiro encontro na rodoviária, no dia 23 de dezembro de 2007, foi marcante, e ali demos início ao nosso namoro real. Sim, sou sincero em dizer que senti um friozinho na barriga ao viajar quase 500 km para encontrar uma pessoa que só conhecia por fotos e textos, com a possibilidade de ela nem aparecer. Mas ela apareceu, e a partir dali, sacramentamos nossa história de amor.

No mesmo dia, fui à casa dela oficializar nosso relacionamento com a família dela, que foi muito receptiva (queriam me jogar da janela do apartamento e cavar uma cova nos fundos do condomínio XD). Brincadeiras à parte, a família dela me recebeu muito bem, e ali conheci minha segunda casa.

Namoramos assim por 3 anos antes de nos casarmos em 08 de maio de 2010. Nos encontrávamos somente em alguns feriados prolongados e no Natal, quando eu pegava férias e viajava para lá. Depois de casado, ela veio morar comigo em Araucária e, 2 anos após, mudamos para Contenda, uma cidade vizinha da capital Curitiba, onde tivemos nossos dois filhos e moramos até o momento.

Everton e sua esposa Nathalia e os filhos Rafael Henrique e Miguel Angelo. / Foto: Arquivo Pessoal.

Acredito que os relacionamentos virtuais podem dar certo quando ambos têm muitas coisas em comum, sabem se respeitar e enfrentar a distância, aproveitando o tempo juntos para matar a saudade.

Enfim, casamos, temos dois filhos lindos e estamos construindo nossa história, servindo de exemplo para alguns amigos que também se conheceram virtualmente e estão construindo suas próprias histórias.

As dicas que dou para quem quer se aventurar nesse tipo de relacionamento são:

1- Preserve suas informações pessoais: Não ofereça informações pessoais num primeiro encontro, antes de conhecer as reais intenções de quem está do outro lado.

2 – Faça videochamadas: hoje, com os smartphones, é fácil fazer uma chamada de vídeo para conhecer realmente a pessoa do outro lado da tela.

3 – Faça uma verificação nas redes sociais: medidas de segurança hoje são necessárias. Verifique o perfil da pessoa nas redes sociais, como Instagram, Facebook, etc. Confira suas fotos e publicações para garantir que você está realmente conversando com a pessoa que está em seus perfis. Além disso, veja se ela adicionou muitas pessoas recentemente e/ou se os comentários nas fotos não parecem ser de amigos antigos. Isso pode ser um alerta.

4 – Não crie expectativas: Muitas pessoas acessam aplicativos de relacionamento para encontrar um(a) companheiro(a), o que pode gerar inúmeras expectativas, não sendo saudável para a sua saúde mental. Por isso, entre nesse terreno sem expectativas. Apenas utilize a ferramenta como mais uma possibilidade de fazer amizades e, quem sabe, se relacionar amorosamente.

5 – Nem tudo é só sexo: A gente sabe que muitos desses aplicativos de conversas aparece gente de tudo quanto é tipo e também de gente mal intencionadas. Saiba filtrar as informações e separar quem realmente quer conversar e realizar uma amizade séria de quem quer somente está ali para baixarias.

6 – Tenham respeito e diálogo um com o outro: Um relacionamento à distância só vai funcionar se houver confiança entre os dois. Por isso, o respeito mútuo e o diálogo devem prevalecer. A distância já é um desafio muito grande para esses relacionamentos. Não permita que outros obstáculos atrapalhem a vida de vocês.

7 – Sejam felizes: Não importa o que os outros digam. Se querem assim, vão atrás dos seus sonhos e sejam felizes.

*O texto é de livre pensamento do colunista*


Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39

Compartilhe essa matéria nas redes sociais

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram

Tags

Talvez queira ler esses Artigos

“Eu me considero uma Falcão, a Bella Falcão”

Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39. Entrevista/Boxe Por: José Salucci – Jornalista e diretor do Merkato O jornal Merkato está produzindo uma série de

PUBLICIDADE

MAIS RECENTES

“Eu me considero uma Falcão, a Bella Falcão”

Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39. Entrevista/Boxe Por: José Salucci – Jornalista e diretor do Merkato O jornal Merkato está produzindo uma série de entrevistas sobre o

13 de Julho: Dia Mundial do Rock

Invista no Jornal Merkato! – Pix: 47.964.551/0001-39. Cultura/Música Por: Redação Guitarras melódicas aos violões acústicos. Sem falar na bateria e contrabaixo, que trazem aquela pegada pra galera

Shopping Basket